CRISE FINANCEIRA AGRAVADA POR PRECATÓRIOS LEVA O FECHAMENTO DA PREFEITURA DE CARMO DO RIO VERDE-GO

  

A Prefeitura de Carmo do Rio Verde, a exemplo das demais prefeituras, vem sofrendo com a forte crise financeira, diante de uma sobrecarga ocasionada pela grande transferência de responsabilidades por parte da União e do Estado, que não realizam as transferências financeiras necessárias à execução de políticas públicas.

 

A crise se agravou nesta segunda feira (11/12/17), quando as contas da prefeitura tiveram bloqueio por ordem judicial (precatórios) no valor de R$ 505.054,26 - sendo que em meados deste ano já havia bloqueado o valor de R$ 207.442,07 – TOTAL GERAL R$ 712.496,33 - em face de dívidas deixadas por ex-prefeitos (desde 1989) que não cumpriram com as suas obrigações financeiras, levando a prefeitura a esta situação, prejudicando diretamente a população e funcionários.

 

              Mesmo diante da crise, a atual administração, através do Prefeito Delson, tem trazido inúmeros benefícios à nossa população e vem tentando honrar os seus compromissos, pois, quando tomou posse, havia 05 (cinco) folhas de pagamento em atraso, e de lá pra cá vem tentando mantê-la em dias, porém, diante dos bloqueios, a cada dia torna-se mais difícil ou quase impossível. Diante disso medidas drásticas foram tomadas, com redução de 95% dos funcionários comissionados além de outras medidas de contenção de despesas.

 

Chegamos a uma situação insuportável, com esses bloqueios não será possível a quitação da folha de pagamento dos nossos servidores antes do natal, que trará uma grande decepção aos servidores e ao prefeito Delson.

 

Por isso decidimos paralisar todas as atividades da prefeitura, por um período de três dias, em protestos a esta situação vergonhosa provocada por nossos ex-administradores e pedimos a compreensão e o apoio da população de Carmo do Rio Verde.

 

              Para o prefeito Delson a paralisação servirá de alerta ao governo federal para as dificuldades causadas aos municípios pela pior crise financeira vivenciada nos últimos anos, principalmente com a queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios-FPM e ICMS, agravada pelas dívidas herdadas de ex- prefeitos. “A paralisação dos dias 13, 14 e 15 é uma forma legítima de protesto e de chamar a atenção para as dificuldades do município”, enfatiza o prefeito. 

 

 Abaixo transcrevemos as dividas objeto dos valores acima indicados:

 

NOME DO CREDOR

Nº PROCESSO

PREFEITO DA GESTÃO

Construtora São Patrício Ind. Com (COSPAL)

200303197743

Geraldo dos Reis Oliveira

Danton Ilushin Bastos

200303197743

Geraldo dos Reis Oliveira

Baltazar Fernandes  da Silva

2004030007997

Roberto Pascoal Liegio

Agropecuária e Dest. Cachoeira Ltda.

058/1996

Artemo Machado Parreira

Eurico Martins

200504081459

José Batista Gomides

Leônidas Rodrigues de Oliveira

200504099382

José Batista Gomides

Sidney Batista Gomides

200604327271

José Batista Gomides

Denise Oliveira Alves Trindade

200504099382

José Batista Gomides

Luiz Ferreira Mota Filho

200504081459

José Batista Gomides

Chrstyane Ind e Comercio Construção

200604709760

Geraldo dos Reis Oliveira

Maria de Lourdes Pereira

200804976028

Roberto Pascoal Liegio

TOTAL GERAL

 

R$ 712.496,33

 

Carmo do Rio Verde, 11 de dezembro de 2017.